top of page

OLAR PARTICIPOU DO COLÓQUIO SARA GÓMEZ

Entre os dias 25 e 27 de julho, o PPGCINE da Universidade Federal Fluminense (UFF) promoveu o Colóquio 50 anos sem com Sara Gómez, no qual foram apresentados diversos trabalhos em torno da obra da diretora cubana que dá nome ao evento.


Mesa 3: Yanara, Judith, Lílian

O Observatório Latino-Americano de Realizadoras (OLAR) esteve presente por meio da apresentação de uma de nossas idealizadoras, Lílian de Alcântara e na apresentação da pesquisadora Yanara Galvão, que levantou dados sobre a difusão do cinema de Sara Gómez pelas ações do OLAR. O Observatório tem Sara Gómez como uma "Referência OLAR" e busca promover sua memória em diversas oportunidades, inclusive Sarita nomeia nosso troféu de "Melhor Filme".


Abaixo deixamos um carrossel com os registros fotográficos do evento e um resumo das apresentações citadas, relacionadas ao Observatório.





Programação:


Abertura oficial

Mesa 1: Diferentes abordagens sobre Iré a Santiago.

Conferência de abertura com Olga García Yero.

Mesa 2: Relações do cinema de Sara Gómez com políticas governamentais.

Mesa 3: Preservação, difusão e fontes da obra de Sara Gómez.

Mesa 4: Decolonialidade, religiosidade e subjetivação na filmografia deSara

Gómez

Conferência de encerramento "Sara Gómez e o início do cinema feminista

na América Latina", por Marina Cavalcanti Tedesco (UFF).


RESUMOS


"A difusão do cinema de Sara Gomez no Brasil: a experiência do Observatório Latino-Americano de Realizadoras (OLAR)"

por Yanara Falcão


Neste trabalho, visamos traçar alguns olhares sobre uma experiência de difusão que abrange a memória e cinematografia da cineasta cubana Sara Gómez com a iniciativa do OLAR, Observatório Latino-Americano de Realizadoras.

O OLAR foi criado em 2020, no estado de Pernambuco, pelas realizadoras Cíntia Lima e Lílian de Alcântara, com o intuito de promover tanto a memória como difundir o cinema realizado por mulheres na América Latina. Desde o primeiro momento que o OLAR colocou em evidência a importância e pioneirismo de Sara Gómez para o cinema latino-americano e mundial através de ações formativas e parcerias com outras iniciativas. Em 2021, Cíntia Lima e Lílian de Alcântara participam com a curadoria da Mostra OLAR no IIIFincar – Festival Internacional de Cinema de Realizadoras. Momento este em que são exibidos três curtas-metragens da cinematografia de Sara Gómez, cedidos pelo

Instituto Cubano de Arte e Indústria Cinematográfica (ICAIC).Com o tema da sessão ¿Qué haces por la historia de nuestra gente?, que aconteceu no modo online pela plataforma da Embaúba Play onde, na mesma mostra, também foram exibidos filmes da cineasta e roteirista cubana, ainda em atividade, Glória Rolando, junto às obras de Sara Gómez, Guanabacoa: A crónica de mi familia (1965), DeBateyes (1971). Já em 2022, através de projeto aprovado no Edital do Fundo de Cultura do Estado de Pernambuco (Funcultura AudiovisualPE), o Observatório realiza sua própria mostra, a 1º OLAR, voltada para filmes em curtas-metragens do Brasil e toda a América-Latina. Quando então, institui o troféu Sara Gomez para filmes de realizadoras, que se destacam pelos seus quesitos técnicos estéticos e narrativos. A partir do contexto apresentado, a proposta para a comunicação será apresentar para além da iniciativa do OLAR na difusão da cinematografia de Sara Gómez, também seus desdobramentos com a inserção de olhares das trabalhadoras do cinema, Cíntia Lima e Lílian de Alcântara, sobre a experiência desta realização.


Palavras-chave:Sara Gómez. Difusão. Observatório Latino-Americano de Realizadoras


minibiografia: Yanara Galvão é professora, pesquisadora e cineclubista. Doutoranda no PPGCine UFF, com pesquisa que abrange as políticas e processos criativos do cinema contemporâneo feito por mulheres com foco para as experiências

do estado de Pernambuco.


____________


"Sara Gómez: os caminhos do reconhecimento de sua obra"

Por Lílian de Alcântara


Sara Gómez é considerada uma das grandes expoentes da primeira década de

cineastas do do ICAIC (Instituto Cubano de Arte e Indutria Cinematografica). Ela dirigiu 17 curtas e 1 longa-metragem que traziam inovações tanto na forma fílmica, como na escolha de questões a narrar dentro da Revolução Cubana. Atualmente sua obra é bastante analisada por ter colocado a população negra cubana no centro do debate, mas por muitos anos sua filmografia era desconhecida, ou omitida, por estudiosos do cinema latino-americano e cubano.

Depois de sua morte, seu último filme demorou 3 anos para ser terminado e lançado, apenas 15 anos depois lhe foi concedida uma homenagem pelo ICAIC, alguns de seus filmes ficaram desaparecidos e só voltaram a ser vistos já no século XXI. Do ponto de vista histórico, muitos livros de história do cinema, escritos no fim do século passado, não citam seu nome, ou apenas nomeiam sua existência sem trazer dados relevantes de sua obra.

A investigação dos motivos pelos quais a obra de Sara Gómez foi esquecida e

posteriormente lembrada nos estudos de cinema latino-americano revela a influência de instituições, como institutos de cinema, agências reguladoras, universidades e festivais, que desempenham um papel crucial na preservação ou no esquecimento da obra de uma diretora.


PALAVRAS CHAVE: Sara Gómez; História do Cinema; Preservação audiovisual;


minibiografia: Lílian de Alcântara é graduada em Cinema e Audiovisual pela Unila e mestre em Comunicação pela UFPE, estuda e promove obras de realizadoras latino-americanas através tanto da pesquisa acadêmica, como de outros projetos de preservação, tais como o Observatório Latino-Americano de Realizadoras, que entre suas ações, concede o Troféu Sara Gómez de melhor direção.

Comments


bottom of page